Tesis de Maestría, Doctorado
  • 2024-04

    Terra e Trabalho na "crise" do Corredor Cafeeiro: projetos senhoriais, crimes cotidianos e contratos de trabalho entre o final da escravidão e o pós-abolição (Vale do Paraíba Fluminense, 1878-1916)

    Título

    Terra e Trabalho na "crise" do Corredor Cafeeiro: projetos senhoriais, crimes cotidianos e contratos de trabalho entre o final da escravidão e o pós-abolição (Vale do Paraíba Fluminense, 1878-1916)

    Autor
    Felipe de Melo Alvarenga
    Orientador(a)
    Jonis Freire
    Data de Defesa
    2024-04-11
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    400
    Volumes
    Banca de Defesa
    Hebe Maria da Costa Mattos Gomes de Castro
    Jonis Freire
    Maria Helena Pereira Toledo Machado
    Maria Verónica Secreto Ferreras
    Mariana de Aguiar Ferreira Muaze

    Resumo

    Esta tese procura revisitar a "crise" do Vale do Café e a "transição do trabalho escravo para o
    livre" a partir de dois fatores materiais cruciais no processo de reprodução das propriedades
    rurais: terra e trabalho. Tomando como área-objeto o Corredor Cafeeiro, região que
    compreendia os municípios de Barra do Piraí, Piraí, Valença e Vassouras, localizados na parte
    ocidental do Vale do Paraíba Fluminense, analisaremos os principais conflitos em torno das
    experiências de trabalho e dos direitos de propriedade exercidos nas fazendas entre os anos de
    1878 e 1916. O Congresso Agrícola do Rio de Janeiro de 1878 foi o evento inicial de nosso
    recorte temporal, ocasião na qual ocorreu uma "reunião senhorial" responsável pela criação da
    ideia de "crise da lavoura nacional" debatida entre os congressistas da época. Entre 1878 e
    1888, identificaremos os principais projetos senhoriais para contornar esta "crise" a partir das
    últimas vontades testamentárias, na tentativa de entender como a classe proprietária rural
    buscava controlar o processo de "transição" da mão de obra escrava para a livre. A seguir,
    confrontaremos esta idealização de um mercado de trabalho perfeito, projetado nos testamentos
    dos senhores escravistas, com a análise dos crimes que aconteceram nas fazendas de café nesta
    última década da escravidão. Entre o projeto senhorial e a realidade criminal, diversos conflitos
    nas relações sociais de trabalho e de propriedade implodiram as intenções e expectativas dos
    fazendeiros de café. Quando veio a abolição em maio de 1888, um laboratório de experiências
    contratuais foi gestado na tentativa de normalizar a produção agrícola e a exploração do
    trabalho. Entre 1888 e 1916 – quando foi aprovado o primeiro Código Civil do Brasil que
    regulamentaria a propriedade da terra e os contratos de trabalho efetivados –, analisaremos a
    natureza destes acordos e arranjos laborais, suas cláusulas e formatos, e os conflitos que
    ocorreram entre os contratantes e os contratados. Meeiros, parceiros, arrendatários,
    empreiteiros, colonos, dentre outras categorias camponesas, tentaram manter sua autonomia
    produtiva em condições adversas, lutando para conseguir a indenização por suas colheitas e
    produções agrícolas no momento das rescisões contratuais. Entre o fazendeiro que queria
    apropriar-se destes bens e os trabalhadores rurais que peticionavam por suas benfeitorias,
    desvendaremos a dinâmica conflituosa em torno dos direitos de propriedade neste mercado de
    trabalho camponês experimentado no imediato pós-abolição. Analisando – de forma tanto
    seriada como qualitativa – os testamentos, autos criminais e processos cíveis, além de outros
    tipos documentais, esta tese compreenderá este processo histórico atravessado por
    transformações sociais nas condições materiais de existência de fazendeiros, patrões e toda a
    camada de camponeses assentados nas propriedades cafeeiras.




  • 2024-04

    O FEMININO NA PENA DAS MULHERES: REPRESENTAÇÃO NO TEATRO FRANCÊS DO SÉCULO XVIII

    Título

    O FEMININO NA PENA DAS MULHERES: REPRESENTAÇÃO NO TEATRO FRANCÊS DO SÉCULO XVIII

    Autor
    Amanda de Queirós Cruz
    Orientador(a)
    Guilherme Paulo Castagnoli Pereira Das Neves
    Data de Defesa
    2024-04-09
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Guilherme Paulo Castagnoli Pereira Das Neves
    Rossana Agostinho Nunes
    William de Souza Martins

    Resumo

  • 2024-04

    UMA EDUCAÇÃO SEXUAL REVOLUCIONÁRIA: O periódico Sexología y Sociedad e a educação sexual em Cuba

    Título

    UMA EDUCAÇÃO SEXUAL REVOLUCIONÁRIA: O periódico Sexología y Sociedad e a educação sexual em Cuba

    Autor
    Pedro Sampaio de Azevedo
    Orientador(a)
    Elisa de Campos Borges
    Data de Defesa
    2024-04-08
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Adriane Aparecida Vidal Costa
    Elisa de Campos Borges
    Norberto Osvaldo Ferreras

    Resumo

  • 2024-04

    É santo para todo lado: os "candomblés" que benzeram a cidade do Rio de Janeiro. (c.1860 – c.1930)

    Título

    É santo para todo lado: os "candomblés" que benzeram a cidade do Rio de Janeiro. (c.1860 – c.1930)

    Autor
    Caio Sergio de Moraes Santos e Silva
    Orientador(a)
    Jonis Freire
    Data de Defesa
    2024-04-04
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Carlos Eduardo Moreira de Araújo
    Eduardo Possidonio
    Jonis Freire
    Larissa Moreira Viana
    Paulo Cruz Terra

    Resumo

  • 2024-04

    Gênero do Pecado e Controle Social em Portugal. Uma Análise do Tratado de Confissom (Séc. XV)

    Título

    Gênero do Pecado e Controle Social em Portugal. Uma Análise do Tratado de Confissom (Séc. XV)

    Autor
    Tatiana Ribeiro Besada Rodrigues
    Orientador(a)
    Mário Jorge da Motta Bastos
    Data de Defesa
    2024-04-01
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Elaine Cristine Dos Santos Pereira Farrell
    Mário Jorge da Motta Bastos
    Renata Rodrigues Vereza

    Resumo

  • 2024-03

    REVISITANDO AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO AFRICANO: O COMÉRCIO DE FERRO BRITÂNICO E O TRÁFICO DE ESCRAVIZADOS NA COSTA DO OURO DO SÉCULO XVIII

    Título

    REVISITANDO AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO AFRICANO: O COMÉRCIO DE FERRO BRITÂNICO E O TRÁFICO DE ESCRAVIZADOS NA COSTA DO OURO DO SÉCULO XVIII

    Autor
    Francisco de Oliveira Henriques
    Orientador(a)
    Felipe Paiva Soares
    Data de Defesa
    2024-03-28
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Estevam Costa Thompson
    Felipe Paiva Soares
    Leonardo Marques

    Resumo

  • 2024-03

    Políticas financeiras na crise da escravidão: sistema Bancário e transição conservadora no Brasil (1870-1892).

    Título

    Políticas financeiras na crise da escravidão: sistema Bancário e transição conservadora no Brasil (1870-1892).

    Autor
    Iago Frizzarin Dotti
    Orientador(a)
    Tâmis Peixoto Parron
    Data de Defesa
    2024-03-28
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Maria Alice Rosa Ribeiro
    Rodrigo Goyena da Silveira Soares
    Tâmis Peixoto Parron

    Resumo

  • 2024-03

    Nem Evas, Nem Marias. Martas. As mulheres no futebol Brasileiro (1941-1983)

    Título

    Nem Evas, Nem Marias. Martas. As mulheres no futebol Brasileiro (1941-1983)

    Autor
    Nathália Fernandes Pessanha
    Orientador(a)
    Lívia Gonçalves Magalhães
    Data de Defesa
    2024-03-27
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Leda Maria da Costa
    Lívia Gonçalves Magalhães
    Ludmila Nunes Mourão
    Renato Soares Coutinho
    Silvana Vilodre Goellner

    Resumo

  • 2024-03

    ETNÓLOGOS NUMA ÁFRICA COLONIAL: Wilfrid Hambly e Gladwyn Childs no Planalto Central de Angola

    Título

    ETNÓLOGOS NUMA ÁFRICA COLONIAL: Wilfrid Hambly e Gladwyn Childs no Planalto Central de Angola

    Autor
    Jéssica Evelyn Pereira Dos Santos
    Orientador(a)
    Marcelo Bittencourt Ivair Pinto
    Data de Defesa
    2024-03-27
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    305
    Volumes
    Banca de Defesa
    Alexsander Lemos de Almeida Gebara
    Andrea Barbosa Marzano
    Felipe Paiva Soares
    Lorenzo Gustavo Macagno
    Marcelo Bittencourt Ivair Pinto

    Resumo

    Esta tese discute os discursos etnológicos em torno dos povos do planalto central angolano
    contidos nas obras de Wilfrid Dyson Hambly e Gladwyn Murray Childs, etnólogos que situaram
    suas pesquisas de campo entre as décadas de 1920 e 1930. As etnografias de Hambly e Childs
    foram elaboradas em um momento de consolidação institucional da Antropologia, cujo campo
    ainda era caracterizado pela fluidez dos limites disciplinares. Desse cenário, emergiram figuras
    com múltiplas afiliações, como é o caso dos etnólogos em questão. Hambly teve uma trajetória
    que mesclou a atuação no campo acadêmico com as funções de curadoria museológica e de
    difusão do conhecimento sobre a África na esfera pública. Childs atuou tanto em universidades
    quanto na missão evangélica congregacional, identificando-se, então, como etnólogo e
    missionário, assumindo uma dupla função que o permitiu transitar entre as duas redes. Por meio
    da análise da trajetória e produção desses autores, o trabalho traça uma contextualização de suas
    experiências de campo na situação colonial, identificando o papel dos interlocutores locais
    (informantes, intérpretes e colaboradores), das redes missionárias e dos repertórios de
    referências nas construções dos discursos etnológicos. O enquadramento da análise no quadro
    referencial da produção sobre os povos nativos de Angola permitiu o exame de suas obras tanto
    do ponto de vista da História da Antropologia e da História Intelectual quanto da perspectiva
    da elaboração de discursos acerca dos africanos em contexto colonial. Ao adotar esse percurso,
    esta tese visa apreender os caminhos de escrita desses etnólogos, questionando a elaboração –
    em termos de condições materiais e construções simbólicas – dos repertórios de conhecimento
    e seus significados para a história e a antropologia dos povos da Angola central.




  • 2024-03

    Neopentecostalismo e Política: formação e atuação da Bancada Evangélica no Congresso Brasileiro (1986-2018)

    Título

    Neopentecostalismo e Política: formação e atuação da Bancada Evangélica no Congresso Brasileiro (1986-2018)

    Autor
    Carolina Bertassoni Dos Santos
    Orientador(a)
    Angelica Müller
    Data de Defesa
    2024-03-26
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Angela Moreira Domingues da Silva
    Angelica Müller
    Camille Goirand
    Christina Vital da Cunha
    Reinaldo Lindolfo Lohn

    Resumo

  • 2024-03

    "Conflitos fiscais, espacialidade e hierarquias sociais na arrecadação dos dízimos em Minas Gerais (1784-1810)".

    Título

    "Conflitos fiscais, espacialidade e hierarquias sociais na arrecadação dos dízimos em Minas Gerais (1784-1810)".

    Autor
    Thaiz Barbosa Freitas
    Orientador(a)
    Carlos Gabriel Guimarães
    Data de Defesa
    2024-03-26
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Afonso de Alencastro Graça Filho
    Ângelo Alves Carrara
    Carla Maria Carvalho de Almeida
    Carlos Gabriel Guimarães
    Luciano Raposo de Almeida Figueiredo

    Resumo

  • 2024-03

    O FESTIVAL DO DIA TREZE DE MAIO: Os significados em torno do encontro "Brancos contra Pretos" em São Paulo (1927-1932)

    Título

    O FESTIVAL DO DIA TREZE DE MAIO: Os significados em torno do encontro "Brancos contra Pretos" em São Paulo (1927-1932)

    Autor
    Thais de Souza Silva Pereira
    Orientador(a)
    Martha Campos Abreu
    Data de Defesa
    2024-03-22
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Martha Campos Abreu
    Renata Figueiredo Moraes
    Renato Soares Coutinho

    Resumo

  • 2024-01

    Em busca do título de cidadão: a naturalização no Império do Brasil e seus limites (1850-1871)

     

    Título

    Em busca do título de cidadão: a naturalização no Império do Brasil e seus limites (1850-1871)

     

    Autor
    Cássila Cavaler Pessoa de Mello
    Orientador(a)
    Gladys Sabina Ribeiro
    Data de Defesa
    2024-01-24
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    280
    Volumes
    Banca de Defesa
    Beatriz Gallotti Mamigonian
    Marina Simões Galvanese
    Paulo Cruz Terra
    Vantuil Pereira

    Resumo

    Esta tese tem como tema central a aquisição do título de cidadão brasileiro por meio do processo
    de naturalização entre os anos de 1850 a 1871. Busca-se compreender os fatores que motivaram
    os indivíduos a solicitarem a naturalização e como se dava esse processo na prática. A
    identificação das estratégias e das dificuldades enfrentadas pelos sujeitos que buscavam o
    exercício da cidadania brasileira no século XIX são objetivos da pesquisa. Entendemos que
    existem dois aspectos muito importantes nesta análise: a avaliação da vontade do Estado e da
    vontade dos indivíduos. Por um lado, havia uma política gestada pelo Estado que facilitava a
    aquisição do título de cidadão por alguns e a dificultava para outros. A escolha de quem poderia
    usufruir do título de cidadão passava por questões como a necessidade de mão de obra, de
    defesa e de ocupação do território, a qualificação do título de cidadão, disputas políticas e
    disputas por mercado de trabalho. Por outro lado, existia a vontade do indivíduo de se tornar
    cidadão, o que estava associado ao modo como o Estado lidava com os estrangeiros que nele
    habitavam e à busca pela ampliação de direitos. É nosso objetivo perceber como os estrangeiros
    sofreram com a execução da política estatal e de que forma pressionaram para que a mesma
    fosse transformada e/ou implantada. Com esse intuito, avaliamos as petições enviadas aos
    senadores e deputados, as consultas e pareceres emitidos pelo Conselho de Estado nas suas
    Seções, a legislação, as decisões imperiais e os debates parlamentares. Por meio dessa
    documentação, foi possível perceber tanto as dificuldades enfrentadas pelos estrangeiros que
    poderiam motivar a busca pela naturalização quanto as dificuldades e inseguranças atreladas ao
    próprio processo de naturalização e à instabilidade do título de cidadão vivenciada por alguns.
    Além disso, fica evidente a pressão exercida pelos indivíduos sobre o aparato estatal para que
    houvessem transformações e respostas legais às suas demandas e direitos.




  • 2023-12

    Feminicídio no Brasil: Feminismo, História e Direito

    Título

    Feminicídio no Brasil: Feminismo, História e Direito

    Autor
    Raíssa Teixeira Almeida de Souza
    Orientador(a)
    Renata Torres Schittino
    Data de Defesa
    2023-12-22
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    150
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Gustavo França Gomes
    Jorgetânia da Silva Ferreira
    Renata Torres Schittino

    Resumo

    A partir dos debates feministas sobre o lugar das mulheres e sua histórica subalternização,
    compreendendo a violência contra as mulheres como parte da construção da sociedade de
    classes, a morte violenta de mulheres é pensada como estrutural, assim, o femícidio/feminicídio
    é nomeado a partir do entendimento da violência letal como parte da dominação masculina e
    da manutenção do capitalismo. Desta forma, o presente trabalho busca analisar a inserção do
    debate de violência nos movimentos feministas como processo de visibilização e
    desnaturalização da inferioridade das mulheres, influenciando na nomeação do crime como
    femicídio/feminicídio e a consequente judicialização do debate, para assim pensar as
    discussões ocorridas na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito — Violência Contra a
    Mulher, e o projeto de lei que veio a se tornar a Lei do Feminicídio (13.104/2015).




  • 2023-12

    A Sociedade De Resistêcia Dos Trabalhadores Em Trapiche E Café: Relações Raciais Na Formação Da Classe Trabalhadora Carioca (1905-1930)

    Título

    A Sociedade De Resistêcia Dos Trabalhadores Em Trapiche E Café: Relações Raciais Na Formação Da Classe Trabalhadora Carioca (1905-1930)

    Autor
    Camila Pizzolotto Alves Das Chagas
    Orientador(a)
    Sonia Regina de Mendonça
    Data de Defesa
    2023-12-15
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Álvaro Pereira do Nascimento
    Bárbara Araújo Machado
    Luiz Fernando Saraiva
    Marcelo Badaró Mattos
    Paulo Cruz Terra

    Resumo

  • 2023-12

    NEOPENTECOSTALISMO E NEOLIBERALISMO EM PERSPECTIVA HISTÓRICA: NOVOS DESAFIOS PARA O BRASIL RECENTE

    Título

    NEOPENTECOSTALISMO E NEOLIBERALISMO EM PERSPECTIVA HISTÓRICA: NOVOS DESAFIOS PARA O BRASIL RECENTE

    Autor
    Amanda Vilela Gomes
    Orientador(a)
    Elisa de Campos Borges
    Data de Defesa
    2023-12-12
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    147
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Elisa de Campos Borges
    Juniele Rabêlo de Almeida
    Rodrigo Turin

    Resumo

    O presente trabalho intenta tecer uma análise da atuação das lideranças evangélicas,
    mais especificamente neopentecostais, na corrida eleitoral de 2018, que culminou na vitória de
    Jair Messias Bolsonaro. Através do histórico de instalação e consolidação desse segmento
    religioso, buscamos compreender como se dá a ampliação de seu número de fiéis e quais suas
    implicações para a política brasileira. Dessa forma, exploraremos os processos através dos
    quais se amalgamam os valores neopentecostais e neoconservadores em um projeto político,
    evidenciando a consonância de tal projeto com o espraiamento do neoliberalismo. Procuramos
    observar como esses aspectos se reforçam mutuamente, através do compartilhamento de uma
    gramática que informa uma mesma teia de sentidos.




  • 2023-12

    Sob as asas da águia: a burguesia brasileira e o capital-imperialismo - de Lula a Bolsonaro (2003-2023)

    Título

    Sob as asas da águia: a burguesia brasileira e o capital-imperialismo - de Lula a Bolsonaro (2003-2023)

    Autor
    Gabriel Lecznieski Kanaan
    Orientador(a)
    Virginia Maria Gomes de Mattos Fontes
    Data de Defesa
    2023-12-08
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    806
    Volumes
    2
    Banca de Defesa
    Ana Elisa Saggioro Garcia
    Pedro Henrique Pedreira Campos
    Rejane Carolina Hoeveler
    Sebastião Carlos Velasco E Cruz
    Virginia Maria Gomes de Mattos Fontes

    Resumo

    Esta tese analisa as relações entre as classes dominantes brasileiras e estadunidenses no
    período que vai do governo Lula ao governo Bolsonaro. Investigamos especialmente as
    conexões forjadas pela Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil com as classes
    dominantes brasileiras. Para isto, examinamos os telegramas enviados por estes postos
    diplomáticos à Washington, que foram vazados pela WikiLeaks. Este aparelho de hegemonia
    estadunidense articulou uma densa teia de conexões entre aparatos das classes dominantes
    estadunidenses e brasileiras, o que nos possibilitou analisar os processos de formação de
    composições e tensões entre estas. Dividimos a pesquisa destas relações em quatro frentes
    referentes ao que identificamos, no início do governo Bolsonaro, como os quatro núcleos do
    bloco no poder: os lavajatistas, os militares, os fascistas e os ultraliberais, que se tornaram
    capítulos desta tese: a análise das relações de agentes judiciários, militares, fascistas e
    empresariais brasileiros com suas contrapartes estadunidenses. Observamos uma densa
    costura articulando entidades das classes dominantes estadunidenses e brasileiras, e vimos
    como a ascensão do lavajatismo, do militarismo e do protofascismo está marcada pelas
    pegadas de diplomatas, políticos, militares e empresários estadunidenses. A atuação desta
    malha impactou profundamente a história política do Brasil recente, da pressão para promover
    as reformas neoliberais (trabalhista, previdenciária e tributária) desde o início dos governos
    Lula ao golpe e à eleição de Bolsonaro, que aprofundaram tal pauta fundamental e unificadora
    da burguesia brasileira e estadunidense. Observamos que a articulação do golpe de 2016 por
    esta malha de aparatos das classes dominantes brasileiras e estadunidenses forjou novas
    configurações nas formas de dominação burguesa no Brasil, despertando monstros que,
    mesmo servis a elas, buscam incansavelmente escapar do seu controle. A ascensão do
    protofascismo, que reproduz a tradição autocrática e contrarrevolucionária da burguesia

    brasileira buscando exterminar as lutas populares, gerou novas tensões com o hegemonismo-
    cosmopolita, fração burguesa que busca apassivá-las. Mesmo identificando tensões, com

    destaque para as tensões interburguesas de escala que surgiram com a expansão das mega
    empresas brasileiras, observamos, ao contrário do que defendem os projetos do progressismo
    brasileiro – como o neodesenvolvimentismo petista ou o projeto nacional pedetista – a
    integração e associação subalterna destes setores das classes dominantes brasileiras às suas
    contrapartes norte-americanas.




  • 2023-12

    Um Bolchevique em Transição: Biografia Intelectual de Evgeny A. Preobrazhensky e sua Teoria da Acumulação Socialista Primitiva (1886-1928).

    Título

    Um Bolchevique em Transição: Biografia Intelectual de Evgeny A. Preobrazhensky e sua Teoria da Acumulação Socialista Primitiva (1886-1928).

    Autor
    Rebecca de Oliveira Freitas
    Orientador(a)
    Tatiana Silva Poggi de Figueiredo
    Data de Defesa
    2023-12-08
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    538
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Bianca Aires Imbiriba di Maio Bonente
    Demian Bezerra de Melo
    Marcelo Badaró Mattos
    Tatiana Silva Poggi de Figueiredo
    Thiago Reis Marques Ribeiro

    Resumo

    A presente tese consiste em uma biografia intelectual do revolucionário e economista soviético
    Evgeny A. Preobrazhensky. O trabalho aborda sua trajetória desde seu nascimento em 1886 e
    acompanha o desenvolvimento de seu pensamento até 1928. Depois de seu ingresso no Partido
    Operário Social-Democrata Russo (Bolchevique) em 1903, ele participou da Primeira
    Revolução Russa (1905-1907), viveu os impactos da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a
    Revolução Russa de 1917, a Guerra Civil (1918-1920) e a transição para a Nova Política
    Econômica (NEP) a partir de 1921. Compôs diversas instâncias partidárias e estatais, e foi
    figura central de diversos grupos oposicionistas, como a Oposição dos 46 e a Oposição
    Unificada. Sua teoria caracterizava a URSS enquanto uma sociedade mista socialista-mercantil,
    onde a lei do valor (nacional e internacional) e a lei da acumulação socialista primitiva
    disputariam o domínio da organização social. Durante esse período de luta por sobrevivência
    em um país majoritariamente camponês, tecnologicamente atrasado, com fortes heranças
    culturais do capitalismo e temporariamente isolado, o setor estatal dependeria
    fundamentalmente do excedente alienado do setor privado através de diversos mecanismos,
    com destaque para as trocas não equivalentes. A lei da acumulação socialista primitiva se referia
    ao conjunto de tendências conscientes e semi-espontâneas da economia estatal objetivando a
    expansão e fortalecimento da organização coletiva do trabalho na economia soviética. As ações
    impulsionadas por essas tendências não eram arbitrárias, mas respondiam às necessidades
    econômicas reconhecidas conscientemente pela correta proporção da distribuição das forças
    produtivas entre os setores estatal e privado e seus departamentos em sua conexão através do
    Estado soviético com a divisão internacional do trabalho, assegurando que essa expansão
    continuasse anualmente, o que só poderia ser asseguradas em última instância pela revolução
    internacional. O papel do desenvolvimento cultural do proletariado, da democracia e do
    combate à burocracia cresceu em seu pensamento no período e é fator fundamental para
    compreendê-lo. Concluo que seu pensamento foi formado e expressou o desenvolvimento
    desigual e combinado russo e que eventos como a Primeira Guerra Mundial e sua luta contra a
    burocracia soviética marcaram sua transição em direção a uma concepção de história calcada
    sobre a ação humana.




  • 2023-11

    SENTIDOS DA MESTIÇAGEM: A EUGENIA NAS CONCEPÇÕES RACIAIS

    DE OCTÁVIO BRANDÃO, ASTROJILDO PEREIRA

    E O PCB NOS ANOS DE 1920

    Título

    SENTIDOS DA MESTIÇAGEM: A EUGENIA NAS CONCEPÇÕES RACIAIS

    DE OCTÁVIO BRANDÃO, ASTROJILDO PEREIRA

    E O PCB NOS ANOS DE 1920

    Autor
    Pedro Monteiro Cheuiche
    Orientador(a)
    Paulo Cruz Terra
    Data de Defesa
    2023-11-30
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    162
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Aruã Silva de Lima
    Paulo Cruz Terra
    Robert Wegner

    Resumo

    A seguinte pesquisa possui como objeto a concepção racial de Astrojildo Pereira, Octávio
    Brandão e o Partido Comunista Brasileiro (PCB) nos anos 1920, tendo em vista o
    fortalecimento da ciência eugênica do Brasil. Alguns dos principais textos da trajetória
    desses dirigentes e do Partido são investigados com o intuito de analisar a influência das
    ideias eugênicas, uma ciência com inserção entre camadas de intelectuais e médicos no
    Brasil. As matrizes intelectuais, a formação anarquista e a integração ao marxismo de
    ambos os autores, com caracterizações que se modificam ao longo do tempo, denotam
    elementos da teoria eugênica de tipo radical e moderado como soluções para o problema
    social brasileiro. Essas posições marcam uma determinada de tratar o tema racial que
    posteriormente influenciam como o Partido enxerga o Brasil. O interesse da dissertação
    será compreender como foram feitas essas interpretações raciais e suas consequências nas
    posições da organização no movimento operário brasileiro.




  • 2023-11

    CONTRASTES DA VIAGEM E AS VISÕES DO TEMPO EM OS SERTÕES E EM TRISTES TRÓPICOS: Diálogos entre história, literatura e etnografia

    Título

    CONTRASTES DA VIAGEM E AS VISÕES DO TEMPO EM OS SERTÕES E EM TRISTES TRÓPICOS: Diálogos entre história, literatura e etnografia

    Autor
    Juliana de Souza Dos Reis
    Orientador(a)
    Francine Iegelski
    Data de Defesa
    2023-11-22
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    146
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Felipe de Souza Dias Brandi
    Francine Iegelski
    Pedro Spinola Pereira Caldas

    Resumo

    Motivada pelo encontro entre os atos de viajar e narrar, a dissertação pretende discutir a
    relação entre mudança de espaço e impacto na percepção temporal a partir de dois
    grandes livros de e sobre viagem: Os sertões (1902), do escritor brasileiro Euclides da
    Cunha, e Tristes trópicos (1955), do antropólogo Claude Lévi-Strauss. Considerados
    livros sui generis, a sobreposição de gêneros e recursos textuais incide em discussões
    pertinentes à teoria da história, no que diz respeito ao questionamento do(s) tempo(s) que
    a viagem coloca àquele que observa. A viagem feita pelos autores é encarada aqui a partir
    da ideia de ‘corte’ geográfico, pelo duplo ato de guiar e transgredir, discutida por Michel
    de Certeau. Durante o percurso, a viagem coloca os autores diante das consequências de
    sua própria sociedade. Seguindo por esse eixo, buscamos, então, pensar Euclides da
    Cunha e Lévi-Strauss como escritores que operam, de certa forma, com a pobreza da
    experiência, da qual nos fala Walter Benjamin.




  • 2023-11

    SUBSTRATOS INSULARES, PERMANÊNCIAS E RUPTURAS CONTINENTAIS: RESSIGNIFICAÇÕES E CONTINUIDADES IRLANDESAS NOS ROMANS DE TRISTAN (SÉCULOS XII-XIII)

    Título

    SUBSTRATOS INSULARES, PERMANÊNCIAS E RUPTURAS CONTINENTAIS: RESSIGNIFICAÇÕES E CONTINUIDADES IRLANDESAS NOS ROMANS DE TRISTAN (SÉCULOS XII-XIII)

    Autor
    Luan Lucas Araújo Morais
    Orientador(a)
    Carolina Coelho Fortes
    Data de Defesa
    2023-11-21
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    491
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Carolina Coelho Fortes
    Carolina Gual da Silva
    Edmar Checon de Freitas
    Elaine Cristine Dos Santos Pereira Farrell
    Igor Salomao Teixeira

    Resumo

    A presente tese objetiva delinear quais os principais elementos insulares, sobretudo,
    irlandeses, na composição temática, estética e narrativa dos romans tristanianos de Béroul
    e Thomas, ambos compostos em anglo-normando na segunda metade do século XII. De
    modo a demonstrar, no âmbito da História, como e por que certos temas, personagens e
    símbolos irlandeses aparecem de maneira implícita ou mesmo explícita nas narrativas do
    Ciclo Tristaniano, advoga-se aqui a hipótese de que tais permanências, bem como suas
    rupturas e contradições, justificam-se nos romans de Béroul e Thomas e com base no
    contexto de dominação colonial ao qual a Irlanda esteve submetida a partir de 1171, o
    chamado Senhorio da Irlanda, instaurado pela coroa inglesa e vinculado ao Império
    Angevino (1154-1259). Desse modo, a seguinte pesquisa busca historicizar os
    fundamentos coloniais que ajudaram a dar vazão aos temas discutidos nos romans de
    Tristan, estabelecendo, via método comparativo, quais as principais estruturas,
    correspondências e significados entre os contextos de produção e circulação desses
    poemas e suas respectivas matrizes irlandesas. Justifica-se ainda tal empreendimento
    mediante a consideração de que, nos recortes espacial e cronológico deste trabalho, tais
    obras estiveram submetidas à esfera de domínio hegemônico de uma francofonia
    medieval, responsável pela produção e pela circulação sistemática de narrativas literárias
    para uma audiência familiarizada com espaços, personagens e temas comuns aos seus contextos sociais e históricos.




  • 2023-11

    Modernidade negra na Praça Onze: escolas de samba, ação política e a construção do Carnaval turístico. Rio de Janeiro 1932-1948

    Título

    Modernidade negra na Praça Onze: escolas de samba, ação política e a construção do Carnaval turístico. Rio de Janeiro 1932-1948

    Autor
    Fabiana Martins Bandeira
    Orientador(a)
    Larissa Moreira Viana
    Data de Defesa
    2023-11-14
    Nivel
    Doutorado
    Páginas
    Volumes
    Banca de Defesa
    Larissa Moreira Viana
    Martha Campos Abreu
    Thiago Cavaliere Mourelle
    Valéria Lima Guimarães
    Vinícius Ferreira Natal

    Resumo

  • 2023-11

    AS RELAÇÕES SOCIAIS E POLÍTICAS DE TRABALHADORES DO SÉCULO XIX NO RIO DE JANEIRO ATRAVÉS DE OCTAVIANO HUDSON

    Título

    AS RELAÇÕES SOCIAIS E POLÍTICAS DE TRABALHADORES DO SÉCULO XIX NO RIO DE JANEIRO ATRAVÉS DE OCTAVIANO HUDSON

    Autor
    Isabella de Souza Tavares
    Orientador(a)
    Paulo Cruz Terra
    Data de Defesa
    2023-11-14
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    117
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Karoline Carula
    Paulo Cruz Terra
    Renata Figueiredo Moraes

    Resumo

    Este trabalho tem como objetivo tratar questões comuns aos trabalhadores da segunda
    metade do século XIX através da figura de Octaviano Hudson. O personagem desta
    dissertação é usado como fio condutor para tratar de questões como o associativismo
    mutualista, a contestação do direito ao voto a partir da Reforma Eleitoral de 1881 e a busca
    incessante por instrução para a população menos abastada e para a classe trabalhadora. Em
    sua trajetória, Hudson foi um tipógrafo, jornalista e poeta do povo, que buscamos ressaltar
    como um protagonista negro da História Social do Trabalho no Brasil.




  • 2023-10

    MULHERES E MANDINGA NA CIDADE NEGRA: As casas de dar fortuna no Rio de Janeiro (1870-1889)

    Título

    MULHERES E MANDINGA NA CIDADE NEGRA: As casas de dar fortuna no Rio de Janeiro (1870-1889)

    Autor
    Hanna Katherine Ferreira Gomes
    Orientador(a)
    Karoline Carula
    Data de Defesa
    2023-10-30
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    166
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eduardo Possidonio
    Jonis Freire
    Karoline Carula

    Resumo

    Este trabalho pretende discorrer sobre os espaços afro-religiosos oitocentistas na cidade do Rio
    de Janeiro, conhecidos como casas de dar fortuna. Eles eram pontos de manifestação de uma
    religiosidade recriada em meio a diáspora africana, com fortes marcas centro-africanas. Nosso
    objetivo central é analisá-los como pontos de sociabilidade feminina, compreendendo a partir
    de uma perspectiva interseccional de que forma as experiências de mulheres plurais refletiram
    na construção desses espaços. Para tanto investigaremos publicações de periódicos publicados
    na cidade entre os anos de 1870 e 1889, processos criminais e fichas de matrículas da Casa de
    Detenção da Corte. A partir do cruzamento dessa documentação, buscaremos desvendar sinais
    e pistas que contribuam para a análise das experiências femininas nas casas afro-religiosas.




  • 2023-10

    Todo mundo quer Umbanda, mas ninguém sabe o que é Umbanda: lutas de representações e identidades umbandistas no Rio de Janeiro (c.1890 - c.1933)

    Título

    Todo mundo quer Umbanda, mas ninguém sabe o que é Umbanda: lutas de representações e identidades umbandistas no Rio de Janeiro (c.1890 - c.1933)

    Autor
    Lucas Ferreira Pinto de Andrade Alves
    Orientador(a)
    Renato Soares Coutinho
    Data de Defesa
    2023-10-24
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    201
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eduardo Possidonio
    Jonis Freire
    Renato Soares Coutinho

    Resumo

    O objeto central desta pesquisa são as representações sociais da Umbanda no Rio de Janeiro.
    Um princípio que orientou nossa abordagem foi o diálogo entre essa prática sagrada como a
    sociedade carioca. Buscamos, assim, ir além da dimensão estritamente religiosa, identificando
    como indivíduos, grupos sociais, instituições e campos do saber não-religiosos representaram
    a Umbanda. Entendemos que a formação das identidades umbandistas só pode ser apreendida
    a partir do complexo e dinâmico cruzamento de representações entre os agentes religiosos e
    não-religiosos, processo que chamamos de lutas de representações. Nesse sentido, este estudo
    se concentra entre a promulgação do Código Penal de 1890 até a publicação de uma série de
    artigos sobre a Umbanda publicada no jornal Diário de Notícias no final de 1932 e início de
    1933. Esse recorte temporal não é estático. Como assumimos a perspectiva historiográfica do
    pós-emancipação e de outros campos que advogam pela superação do "muro de Berlim"
    historiográfico que divide o período escravista do período do trabalho assalariado, nossa
    abordagem fará movimentos de retorno e avanço ao recorte citado, sem os quais não é
    possível compreender satisfatoriamente a formação das identidades umbandistas no Rio de
    Janeiro. Para fundamentar as hipóteses que serão apresentadas e desenvolvidas, trabalhamos
    com crônicas, notícias de jornais, revistas científicas, processos-crime e produções clássicas
    sobre o negro no campo da Antropologia, da Sociologia e da História. Ao cotejar essa
    documentação, uma grande preocupação nossa consistiu em captar as "vozes", "olhares",
    "sentidos"; enfim, as representações que sujeitos subalternizados, sobretudo pretos e pardos,
    fizeram da experiência sagrada que organizava as suas vidas, a Umbanda.




language

Siga-nos