Thèses
  • 1987-12 Instituições e Instrumentos de Política de Ciência e Tecnologia: O Ensino, a Pesquisa e a Transferência de Tecnologia Agrícola - Uma Análise de Desempenho.
    Título
    Instituições e Instrumentos de Política de Ciência e Tecnologia: O Ensino, a Pesquisa e a Transferência de Tecnologia Agrícola - Uma Análise de Desempenho.
    Autor
    Valéria Gonçalves da Vinha
    Orientador(a)
    Maria Bárbara Levy
    Data de Defesa
    1987-12-03
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    300
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ismênia de Lima Martins
    Maria Bárbara Levy
    Roberto José Moreira

    Resumo
    Insere-se no debate sobre o papel desempenhado pela tecnologia no desenvolvimento da agricultura nacional. Destacam-se as interpretações que atribuem à tecnologia o mau desempenho do setor. A constatação de graves desequilíbrios tecnológicos entre culturas de exportação e de mercado interno, segundo a autora, frustrou a expectativa expressa nos planos do Governo, que recomendava a orientação de ações no setor a partir da elaboração de uma política tecnológica.
  • 1987-11 Crescimento Desigual - O Bairro da Tijuca: 1907-1945-1980
    Título
    Crescimento Desigual - O Bairro da Tijuca: 1907-1945-1980
    Autor
    Lúcia Miranda Boaventura
    Orientador(a)
    Maria Bárbara Levy
    Data de Defesa
    1987-11-26
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    168
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Ismênia de Lima Martins
    Maria Bárbara Levy

    Resumo
    Analisa a transição da Tijuca, no Rio de Janeiro, de bairro voltado para o lazer, no século XIX, para um local notadamente residencial e comercial no século XX. Depois da Segunda Guerra, afirma a autora, o comércio cresceu expressivamente na região, ao contrário da indústria, que tem pouca representatividade na Tijuca. Procura compreender as desigualdades no bairro. Ressalta o papel social das associações de moradores do asfalto e das favelas. Elas, segundo a pesquisadora, têm papel importante na História recente do bairro, pois procura reparar os erros de uma urbanização acelerada que não levou em conta o homem, mas os interesses do capital.
  • 1987-11 A Produção da Coisa Pública: Serviços Públicos e Cidadania na Primeira República - A República Ludovicense.
    Título
    A Produção da Coisa Pública: Serviços Públicos e Cidadania na Primeira República - A República Ludovicense.
    Autor
    Raimundo Nonato Palhano Silva
    Orientador(a)
    Victor Vincent Valla
    Data de Defesa
    1987-11-26
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    355
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Ismênia de Lima Martins
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    Evidencia a questão da produção, distribuição e consumo de serviços públicos de infra-estrutura urbana no Brasil, tomando como referência o estudo do caso de São Luís, capital do Maranhão, no período de 1889-1930. Analisa as políticas públicas do Estado para aquele setor e como as mesmas repercutiram para a produção da esfera pública e da esfera privada, com a intenção de identificar as formas de cidadania reconhecidas. Na primeira parte, discute a literatura sobre a esfera pública e as formas de sociabilidade, com destaque para o significado histórico e político da cidadania. A questão da cidadania e a problemática dos serviços públicos na Primeira República brasileira é o tema da segunda parte. Em seguida, analisa a produção, distribuição e consumo dos serviços públicos de água, esgoto, higiene, logradouros ( ruas e praças), iluminação, luz elétrica, bondes e comportamento da verba pública em relação aos serviços urbanos, na cidade de São Luís.
  • 1987-11 Cabras e Pés-de-Chumbo: Os Rolos do Tempo, O Antilusitanismo na Cidade do Rio de Janeiro (1890 - 1930).
    Título
    Cabras e Pés-de-Chumbo: Os Rolos do Tempo, O Antilusitanismo na Cidade do Rio de Janeiro (1890 - 1930).
    Autor
    Gladys Sabina Ribeiro
    Orientador(a)
    Robert Wayne Andrew Slenes
    Data de Defesa
    1987-11-17
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    350
    Volumes
    2
    Banca de Defesa
    Maria Yedda Leite Linhares
    Nancy Priscilla Smith Naro
    Robert Wayne Andrew Slenes

    Resumo
    Aborda a questão do controle social na cidade do Rio de Janeiro de finais do século XIX e início século XX, atentando para uma parte significativa desta população constituída por imigrantes. A autora pergunta-se como se davam as relações entre brasileiros e portugueses e como os conflitos aí gerados eram apropriados no sentido de construir e manter a ordem burguesa emergente. A hipótese central é a de que a formação e a utilização de diversas visões sobre os estrangeiros, e mais especificamente sobre o português, passam por uma questão de classe e pela sua manipulação de acordo com os períodos de calma ou tensão social. Desta forma, acrescenta a autora, as visões constituem uma forma de controle social e um modo sutil de exercício do poder que penetra capilarmente nos indivíduos e atinge seus cotidianos. Essas visões formam-se a partir de todos os segmentos sociais e são vivenciadas de formas diferentes. As visões sobre o português manifestar-se-ão não só de acordo com as vivências de cada segmento, como também de acordo com as conjunturas sócio-econômicas e com as necessidades de se construir esta nova ordem - baseada no valor fundamental do trabalhador e tendo como horizonte a questão da construção da nacionalidade. Muitas vezes, exemplifica a autora, o português aparece como sujeito trabalhador, sugador.
  • 1987-11 Luto-Luta: O Primeiro de Maio no Rio de Janeiro (1890 - 1940).
    Título
    Luto-Luta: O Primeiro de Maio no Rio de Janeiro (1890 - 1940).
    Autor
    Bernardo Kocher
    Orientador(a)
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Data de Defesa
    1987-11-12
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    218
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Ismênia de Lima Martins
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    Busca-se compreender, a partir da análise das comemorações do Primeiro de Maio no Rio de Janeiro, o processo de construção da ordem burguesa na formação econômico-social brasileira.Supõe-se que este ocorreu entre 1890 e 1940, quando foram formuladas as condições possíveis de reprodução ampliada do capital, suprimindo-se a resistência frontal da classe operária à dominação capitalista.Privilegia-se a análise da ideologia, tomando como base os pronunciamentos dos diversos segmentos da sociedade carioca no Primeiro de Maio. Segundo o autor, esses documentos são bastante esclarecedores para a compreensão da construção da ordem burguesa.
  • 1987-11 Meninas Perdidas: Os Populares e o Cotidiano do Amor no Rio de Janeiro da Belle Époque.
    Título
    Meninas Perdidas: Os Populares e o Cotidiano do Amor no Rio de Janeiro da Belle Époque.
    Autor
    Martha de Abreu Esteves
    Orientador(a)
    Robert Wayne Andrew Slenes
    Data de Defesa
    1987-11-03
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    418
    Volumes
    2
    Banca de Defesa
    Margarida de Souza Neves
    Rachel Soihet
    Robert Wayne Andrew Slenes

    Resumo
    Investiga os valores e comportamentos familiares na primeira década do século XX na cidade do Rio de Janeiro. Período em questão situa-se num momento crítico da História da capital da República, porque se aprofundava a constituição da ordem burguesa. Por um lado, analisam-se as estratégias de controle jurídico sobre a moralidade dos segmentos populares da cidade. A difusão de determinados padrões e a melhor punição dos crimes sexuais eram, segundo a autora, os principais objetivos da Justiça e de seus especialistas. Por outro, discutem-se as práticas cotidianas de amor da população pobre da cidade do Rio de Janeiro. Com uma forma especial de namorar, de se divertir, de assumir a relação homem/mulher, de viver a relação sexual e de administrar os conflitos, estas populações construíam uma outra história moral, apesar das tentativas de civilização. Uma amostra de processo criminais de atentado ao pudor, defloramento, estupro e rapto foi o principal tipo de fonte utilizada.
  • 1987-09 A ANL na Legalidade.
    Título
    A ANL na Legalidade.
    Autor
    Vitor Manoel Marques da Fonseca
    Orientador(a)
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Data de Defesa
    1987-09-30
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    329
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Ismênia de Lima Martins
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    O período de legalidade da Aliança Nacional Libertadora (ANL), compreende os meses de março a julho de 1935, durante o qual a organização teve um crescimento surpreendente. As razões desse fenômeno são estudadas a partir dos seguintes aspectos: origem e formação ; organização e vida; integrantes e ideologia. Observam-se assim as controvérsias e divergências quanto ao seu caráter, seus objetivos e seus fundadores. A análise da estrutura organizadora é feita com base nos estatutos, identificando-se as semelhanças com outras organizações políticas, particularmente o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Quanto à composição, discute-se o papel e a atuação dos membros institucionais e individuais, procurando detectar as forças e as tendências políticas e sociais dominantes, bem como relações do movimento com outras agremiações existentes. O autor analisa a ideologia aliancista através das principais questões presentes em suas manifestações públicas, destacando as alterações com a participação de Luís Carlos Prestes e a relação do movimento com o governo e a sociedade.
  • 1987-07 O Comércio de Cabotagem e o Tráfico Interprovincial de Escravos em Salvador (1850 - 1880).
    Título
    O Comércio de Cabotagem e o Tráfico Interprovincial de Escravos em Salvador (1850 - 1880).
    Autor
    Iolanda Maria do Nascimento
    Orientador(a)
    Almir Chaiban El-kareh
    Data de Defesa
    1987-07-09
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    168
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Almir Chaiban El-kareh
    Ana Maria Dos Santos
    Ciro Flamarion Santana Cardoso

    Resumo
    Estuda o comércio de cabotagem desenvolvido no Porto de Salvador na Bahia, na segunda metade do século XIX. Analisa a importância desse comércio como suporte da economia interna da Província, funcionando como principal fornecedor de gêneros de subsistência e de mão- de-obra escrava, além de importante atividade de arrecadação de impostos provinciais. Relaciona a estrutura comercial deste ramo do comércio marítimo com a situação econômico-financeiro da Bahia no que diz respeito aos problemas de abastecimento, da agricultura e da deficiência dasvias de comunicação. Analisa também suas rotas comerciais, sua vinculação com o comércio exportador-importador, além da concorrência estrangeira que lhe foi imposta com o fim do monopólio nacional sobre a cabotagem. Finalmente, a autora procura mostrar como o comércio estava intrinsecamnete ligado ao desenvolvimento de toda a Província e era responsável, em boa parte, pela sua renda interna na medida em que também gerava capitais para outros setores da economia.
  • 1987-01 O D.I.P. e a Juventude no Estado Novo (1939 - 1945): Análise de Uma Ideologia Através do Discurso de Um Órgão de Propaganda Estatal.
    Título
    O D.I.P. e a Juventude no Estado Novo (1939 - 1945): Análise de Uma Ideologia Através do Discurso de Um Órgão de Propaganda Estatal.
    Autor
    Heloisa Helena de Jesus Paulo
    Orientador(a)
    Francisco José Calazans Falcon
    Data de Defesa
    1987-01-06
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    184
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Francisco José Calazans Falcon
    Margarida de Souza Neves
    Pedro Celso Uchôa Cavalcanti Neto

    Resumo
    O trabalho desvenda, a partir da produção discursiva do órgão de propaganda oficial do Estado Novo (1937-1945), o Departamento de Imprensa e Propaganda - DIP (1939-1945), o papel que a ideologia estadonovista confere à juventude. Parte-se da análise dos discursos para o estudo das justificativas, com base na teoria da argumentação. O Trabalho detecta três tipos de argumentos empregados para o desenvolvimento da temática junventude-Estado Novo. A conclusão apresenta a juventude como um instrumento continuador do regime.
  • 1986-12 A Industrialização no Rio de Janeiro 1930 - 1945 (Indústria e Industriais no Antigo Distrito Federal).
    Título
    A Industrialização no Rio de Janeiro 1930 - 1945 (Indústria e Industriais no Antigo Distrito Federal).
    Autor
    Almir Pita Freitas Filho
    Orientador(a)
    Maria Bárbara Levy
    Data de Defesa
    1986-12-18
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    389
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ciro Flamarion Santana Cardoso
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Maria Bárbara Levy

    Resumo
    Estudo das formas de organização e de pensamento dos industriais do antigo Distrito Federal entre 1930 e 1945. Nesta época, apesar da forte presença do Estado na vida sócio-econômico e política do país, a burguesia industrial carioca, através de suas associações de classe, a exemplo da Federação Industrial do Rio de Janeiro (FIRJ), atuou na defesa de seus interesses específicos, e contribuiu para a elaboração de uma proposta de desenvolvimento econômico para o país atrelado ao desempenho da indústria. O exame deste argumento é respaldado por uma minuciosa análise do perfil de setor industrial carioca, assim como de seu principal órgão de classe, a FIRJ, baseada nas atas e relatórios desta associação, assim como nos dados dos censos industriais de 1920, 1940 e 1950. Da análise emerge uma visão de uma fração de classe que se organiza, cria e preserva um espaço próprio no interior de estado autoritário, assim como de uma estrutura industrial que se diversificou ao longo do período.
  • 1986-12 Contestação e Defesa: A Congregação Beneditina Brasileira no Rio de Janeiro (1830 - 1870).
    Título
    Contestação e Defesa: A Congregação Beneditina Brasileira no Rio de Janeiro (1830 - 1870).
    Autor
    Maria Rachel Fróes da Fonseca Dos Santos
    Orientador(a)
    Nancy Priscilla Smith Naro
    Data de Defesa
    1986-12-03
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    148
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ana Maria Dos Santos
    Margarida de Souza Neves
    Nancy Priscilla Smith Naro

    Resumo
    Estudo desenvolvido nos Arquivos, até então inacessíveis, da Congregação Beneditina do Rio de Janeiro. Examina a mudança da relação entre o Estado colonial português, o posterior Império brasileiro independente, e a Congregação Beneditina, que veio para o Rio de Janeiro no século XVI. As ordens religiosas, introduzidas no Brasil como instrumento do Estado colonial português em expansão, acompanharam o processo de povoamento e colonização do Brasil, defende a autora. Ao longo do tempo, a consolidação do processo colonial e a Independência do Brasil engendraram um novo conjunto de relações que favoreceram a formação de um clero brasileiro, o que levou à redefinição do aparelho Estado-Igreja. Examina-se a crescente intervenção por parte do governo Imperial brasileiro nos assuntos eclesiásticos, como também na administração de assuntos particulares da Ordem Beneditina. A pesquisa justa põe leis e argumentos que revelam as crescentes atitudes e políticas centralizadas do Governo Imperial brasileiro em relação à igreja Católica no curso do século XIX. Esse processo culminou com a completa separação da Igreja do Estado, quando da proclamação da República em 1889.
  • 1986-09 Terra e Trabalho em Campos dos Goitacazes (1850 - 1920).
    Título
    Terra e Trabalho em Campos dos Goitacazes (1850 - 1920).
    Autor
    Sheila Siqueira de Castro Faria
    Orientador(a)
    Maria Yedda Leite Linhares
    Data de Defesa
    1986-09-29
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    492
    Volumes
    2
    Banca de Defesa
    Ciro Flamarion Santana Cardoso
    Maria Luiza Marcílio
    Maria Yedda Leite Linhares

    Resumo
    Procura entender o significado da apropriação / uso da terra e sua relação com as transformações produtivas e sociais do município de Campos dos Goitacazes, no período de 1850 a 1920. Neste intervalo de tempo, detectam-se modificações profundas na apropriação fundiária, nas técnicas de beneficiamento, particularmente da cana-de-açúcar, no suprimento de mão-de-obra, nos agentes a liderar o processo produtivo e no capital investido. O estudo ganha maior significação por se referir a uma região que teve no mercado interno, e não no externo, desde o período colonial, a orientação da direção de sua agro-indústria açucareira, da lavoura cafeeira e demais atividades. Segundo a autora, Campos dos Goitacazes sofreu um processo claro de capitalização da produção, culminando, ao fim do século XIX, com a entrada em cena dos engenhos centrais e usinas que rearticularam a organização agrária local. Campos dos Goitacazes, município situado a nordeste do Estado do Rio de Janeiro, com uma superfície bastante extensa, pode ser considerado uma área de ocupação antiga se comparada à maior parte das regiões da Baixada Fluminense.
  • 1986-09 As Malhas de Aço no Tecido Social: A Revista ‘A Defesa Nacional‘ e o Serviço Militar Obrigatório.
    Título
    As Malhas de Aço no Tecido Social: A Revista ‘A Defesa Nacional‘ e o Serviço Militar Obrigatório.
    Autor
    Leila Maria Corrêa Capella
    Orientador(a)
    Francisco José Calazans Falcon
    Data de Defesa
    1986-09-22
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    271
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Francisco José Calazans Falcon
    Pedro Celso Uchôa Cavalcanti Neto
    René Armand Dreifuss

    Resumo
    Tem como objetivo a análise da proposta de reorganização do Exército brasileiro na década de 1910, elaborada por um grupo de oficiais conhecidos como jovens turcos, e o seu desdobramento na sociedade, tendo como ponto de partida o serviço militar obrigatório. Esses dois movimentos, para dentro e para fora da corporação, são analisados com objetivos de compreender a aproximação ocorrida em torno da campanha pelo serviço militar obrigatório, entre os militares e as elites civis, concretizada com organização da Liga de Defesa Nacional, em dezembro de 1916. A análise baseia-se na revista A Defesa Nacional, editada pelos jornais turcos com a finalidade de veicular seu pensamento e os conhecimentos técnicos necessários à profissionalização da categoria. Avalia-se, como particular atenção, as construções ideológicas que permeiam os discursos elaborados acerca da nação brasileira e do Exército, bem como a definição do papel a ser desempenhado pelo Exército em uma sociedade nascente, como a brasileira.
  • 1986-08 A União dos Trabalhadores Metalúrgicos na Construção do Sindicato Corporativista (1932 - 1945).
    Título
    A União dos Trabalhadores Metalúrgicos na Construção do Sindicato Corporativista (1932 - 1945).
    Autor
    Eduardo Navarro Stotz
    Orientador(a)
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Data de Defesa
    1986-08-28
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    365
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Ismênia de Lima Martins
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    Destaca a participação operária na construção do sindicato corporativista, no Distrito Federal, no período de 1930 a 1945. A literatura sobre o tema enfatiza, segundo o autor, o papel da política coercitiva do Estado na criação desse sindicato e, sob essa perspectiva, descreve a destruição do sindicalismo livre e independente oriundo da fase da história anterior. Defende a hipótese de que teria sido formulado um projeto que, sustentado por certos segmentos do movimento sindical carioca, pretendia colocar o Estado a serviço dos interesses das categorias profissionais nele representadas. O fenômeno de uma vertente corporativista no movimento sindical acabou servindo à estratégia burguesa, dirigida pelo Estado, de fragmentar o movimento operário e de impedir a emergência de um projeto de classe alternativo.


  • 1986-06 O Povo Capturado na Apreensão do Brasil (Uma Releitura dos Estudos Brasileiros de Folclore, 1945-1964).
    Título
    O Povo Capturado na Apreensão do Brasil (Uma Releitura dos Estudos Brasileiros de Folclore, 1945-1964).
    Autor
    Alcione Fernandes Baptista
    Orientador(a)
    Afonso Carlos Marques Dos Santos
    Data de Defesa
    1986-06-06
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    292
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Afonso Carlos Marques Dos Santos
    Ismênia de Lima Martins
    Renato José Pinto Ortiz renato José Pinto Ortiz ortiz

    Resumo
    Recupera as construções da noção de povo, veiculadas por segmentos da intelectualidade brasileira entre o final do Estado Novo e o golpe militar de 1964. Tem como objetivo central a releitura do conceito de folclore enquanto linguagem autorizada de tradução da cultura popular. A literatura folclórica é examinada em contraponto com outras linguagens, como a do nacional-desenvolvimentismo. trata-se um momento de transição de uma ordem fundamentalmente agrária para outra de caráter urbano-industrial. Distinguem-se dois tipos de fontes: a) as obras de Renato Almeida e Edison Carneiro, ao lado de formulações específicas de Manuel Diégues Júnior; b) alguns textos de Nelson Werneck Sodré, além de aspectos parciais dos modelos de pensamento do ISEB. Analisada a compreensão do país e de povo dos dois folcloristas, base da instrumentalização do conceito de folclore, consideram-se a perspectiva protecionista e a construção da identidade cultural. São analisadas as formas como as noções de povo, de cultura, de nação e de região se organizaram no pensamento dos autores selecionados, que expressam, defende a autora, visões do Brasil.
  • 1986-05 Modernização e Imigração no Brasil Imperial: Processo e Imobilismo (1850 - 1888).
    Título
    Modernização e Imigração no Brasil Imperial: Processo e Imobilismo (1850 - 1888).
    Autor
    Lená Medeiros de Menezes
    Orientador(a)
    Berenice de Oliveira Cavalcante
    Data de Defesa
    1986-05-08
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    190
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Berenice de Oliveira Cavalcante
    Francisco José Calazans Falcon
    Margarida de Souza Neves

    Resumo
    Procura captar as principais tendências manifestadas no discursos de época com relação à imigração no Brasil imperial, no contexto da ideologia do progresso que marcou o século XIX. Analisa os relatos dos viajantes e a documentação oficial sobre a questão, revelando a dialética entre movimento - representado pela modernização pretendida pelos agentes do Estado - e a resistência - expressa nos interesses dos grandes proprietários, pressionados pela necessidade de substituição do trabalho escravo. Dos discursos dos viajantes capta-se a realidade social por eles vivida e sua crença na superioridade do homem europeu. Nos relatórios dos Ministérios, detecta-se a defesa do progresso através da arregimentação de uma mão-de-obra superior. Já nos documentos sobre os Congressos Agrícolas do Rio de Janeiro e do Recife, percebe-se, segundo a autora, a mentalidade escravocrata dos senhores da terra.
  • 1986-04 A Instrução Pública e o Ensino na Província do Rio de Janeiro: Visão Oficial e Prática Cotidiana (1871 - 1888).
    Título
    A Instrução Pública e o Ensino na Província do Rio de Janeiro: Visão Oficial e Prática Cotidiana (1871 - 1888).
    Autor
    Lúcia Maria Oliveira Bastos
    Orientador(a)
    Ana Maria Dos Santos
    Data de Defesa
    1986-04-07
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    341
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ana Maria Dos Santos
    Maria Beatriz Nizza da Silva
    Sônia Bayão Rodrigues Viana

    Resumo
    Situa a instrução pública no contexto do Rio de Janeiro entre 1871 e 1888. A autora faz sua análise sob a ótica do século XIX, quando a educação, vinculada à ideologia do progresso, era vista como o instrumento adequado para a superação dos problemas sociais. No Brasil, mais especificamente na Província do Rio de Janeiro, ensinar a ler, a escrever e a contar significava apenas a oportunidade de moralizar o indivíduo.Com a crise do escravismo essa preocupação acentuou-se. Era preciso, acreditavam, moralizar a imensa massa de libertos. Assim, conclui a autora, a educação permaneceu o apanágio dos grupos dominantes, embora tenha passado a ser reconhecida como um instrumento auxiliar na busca da ordem e do progresso.
  • 1985-12 Vila do Príncipe (1850 - 1890) - Sertão do Seridó: Um Estudo de Caso da Pobreza.
    Título
    Vila do Príncipe (1850 - 1890) - Sertão do Seridó: Um Estudo de Caso da Pobreza.
    Autor
    Maria Regina Mendonça Furtado Mattos
    Orientador(a)
    Maria Yedda Leite Linhares
    Data de Defesa
    1985-12-18
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    247
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ciro Flamarion Santana Cardoso
    Maria Yedda Leite Linhares
    Nancy Priscilla Smith Naro

    Resumo
    Estudo sobre o Seridó durante a segunda metade do século XIX. Aborda os fatores que interromperam o desenvolvimento sócio-econômico da Vila do Príncipe, levando atual Município de Caicó, localizado no sertão do Rio Grande do Norte, a se caracterizar pela extrema pobreza de sua população. O monopólio da terra nas mãos de grandes latifundiários pecuaristas teve origem na distribuição e nas formas de ocupação das propriedades. Por outro lado, essa estrutura fundiária e a Lei de Terras que a consolidou impediram, defende a autora, formação de uma economia camponesa independente em todo o nordeste. Na economia da segunda metade do século passado, norteada pelo sistema escravista de produção, no qual a pecuária foi prioridade e a agricultura esteve voltada exclusivamente para o auto-sustento, a presença da mão-de-obra negra escrava, nas relações de produção, moldou formas de trabalho livre específicas, que até hoje são muito comuns na região. As transformações econômicas e sociais que ocorreram no Império, a partir de 1850, principalmente nas regiões cafeeiras do sudeste do país, não deixaram de afetar o sertão nordestino. No entanto, nessa região, as mudanças ocorrem mais lentamente, fazendo com que a transição do sistema escravista colonial de produção para o capitalismo dependente assumisse características muito específicas.
  • 1985-12 As Artimanhas de Esculápio: Crença ou Ciência no Saber Médico.
    Título
    As Artimanhas de Esculápio: Crença ou Ciência no Saber Médico.
    Autor
    Ângela de Araújo Pôrto
    Orientador(a)
    Victor Vincent Valla
    Data de Defesa
    1985-12-09
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    145
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ismênia de Lima Martins
    Joaquim Alberto Cardoso de Melo
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    Analisa as concepções e práticas médico-sanitárias em relação à doença na cidade do Rio de Janeiro no final do século XIX. Para a compreensão das transformações do pensamento médico a partir da introdução de novos métodos de conhecimento científico, estudou-se a estrutura do ensino médico no Rio de Janeiro, o desenvolvimento das instituições de pesquisa científica na área da saúde e a formação da Academia Nacional de Medicina, fórum do debate científico. São também consideradas as teorias médicas do século XIX sobre as origens das doenças, teorias essas que constituíram a base do saber médico e a partir das quais foram elaboradas as propostas de saneamento da cidade do Rio de Janeiro, encaminhadas por médicos ao Governo, com o fim de debelar as epidemias e transformar o aspecto da cidade. O pensamento positivista em relação à saúde também é analisado.
  • 1985-11 A Ideologia da Corrente Militar Revolucionário-Nacionalista (1967 - 1969).
    Título
    A Ideologia da Corrente Militar Revolucionário-Nacionalista (1967 - 1969).
    Autor
    Marcos de Mendonça O Reilly
    Orientador(a)
    Francisco José Calazans Falcon
    Data de Defesa
    1985-11-13
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    363
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Berenice de Oliveira Cavalcante
    Ciro Flamarion Santana Cardoso
    Francisco José Calazans Falcon

    Resumo
    Procura, a partir de aspectos econômicos, políticos e sociais do Governo Costa e Silva, detectar certas condições sociais de produção do discurso do General Albuquerque Lima. O autor destaca a apresentação, neste estudo, de documentação até então inédita a respeito da implantação do Ato Institucional número 5 e do processo sucessório do Presidente Costa e Silva. Analisa, também, certos discursos e conferências - os considerados mais pertinentes -, do General Albuquerque Lima, todos pronunciados quando a sua atuação frente ao Ministério do Interior e no restante do Governo Costa e Silva. Nesses discursos observa-se a tensão entre as noções de nacionalismo e revolucionário. Como metodologia de análise foram adotadas técnicas de lingüística e de análise de conteúdo, aliadas às informações obtidas a partir da análise do discurso albuquerquista.
  • 1985-10 A Estrutura Fundiária do Município de Araruama: 1850 - 1920.
    Título
    A Estrutura Fundiária do Município de Araruama: 1850 - 1920.
    Autor
    Maria Paula Graner
    Orientador(a)
    Maria Yedda Leite Linhares
    Data de Defesa
    1985-10-16
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    230
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Ciro Flamarion Santana Cardoso
    Ismênia de Lima Martins
    Maria Yedda Leite Linhares

    Resumo
    Estudo de alguns aspectos da estrutura de distribuição de terras no município de Araruama, de 1850 a 1920. Esboça as continuidades e transformações que percorrem o período, abordando aspectos como: as tendências da concentração fundiária, as formas de apropriação da terra, as relações jurídicas e as formas de aquisição. Procura detectar os limites com os quais os grandes eixos da economia agro-exportadora podem ser identificados nos desdobramentos fundiários de uma região marginalizada dos centros dinâmicos da economia. A região selecionada para este estudo, afirma a autora, define-se como uma área periférica, medíocre em relação à produção agro-exportadora, sem contudo ausentar-se totalmente das grandes linhas sócio-econômicas que marcaram a formação da sociedade brasileira. Parte-se de fontes cartorárias (escrituras de compra e venda de terras, escrituras de dívidas e hipotecas, inventários Post-mortem), dos Registros Paroquiais de Terras e do Recenseamento Agrícola do Brasil de 1920. A autora destaca a validade da adoção de métodos quantitativos para a história da agricultura.
  • 1985-10 Metáforas do Trabalho na República das Letras: Atitudes Antiescravistas na Crise do Sistema Colonial.
    Título
    Metáforas do Trabalho na República das Letras: Atitudes Antiescravistas na Crise do Sistema Colonial.
    Autor
    Francisco Medeiros Soeiros
    Orientador(a)
    Ismênia de Lima Martins
    Data de Defesa
    1985-10-11
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    237
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Afonso Carlos Marques Dos Santos
    Francisco José Calazans Falcon
    Ismênia de Lima Martins

    Resumo
    Aborda a manifestação de uma opinião antiescravista no conjunto do reformismo econômico de cunho liberal, formulado pela intelectualidade adjunta ao estado absolutista português, durante o processo de crise e superação da relação colonial luso-brasileira. O pesquisador examina a argumentação desenvolvida pelos letrados em depoimentos voluntários (memórias), o que permitiu a identificação das bases ideológicas que delimitaram sua análise. Segundo Francisco Medeiros Soeiros, a crítica ao escravismo desenvolveu-se numa perspectiva dupla: uma técnica; outra, ética.
  • 1985-10 À Margem da História: Homens Livres Pobres e Pequena Produção na Crise do Trabalho Escravo.
    Título
    À Margem da História: Homens Livres Pobres e Pequena Produção na Crise do Trabalho Escravo.
    Autor
    Hebe Maria da Costa Mattos Gomes de Castro
    Orientador(a)
    Maria Yedda Leite Linhares
    Data de Defesa
    1985-10-07
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    293
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Bartolomé Bennassar
    Ciro Flamarion Santana Cardoso
    Maria Yedda Leite Linhares

    Resumo
    Questiona a importância da historiografia econômica brasileira de somente enfatizar a importância da Plantation, a grande agricultura exportadora. Parte, então do estudo de Capivary - atual Município de Silva Jardim, no Rio de Janeiro - no século XIX, uma fronteira agrícola aberta à expansão cafeeira, o que possibilitou o estabelecimento de uma sociedade rural baseada no trabalho escravo e voltada para o mercado interno. Em virtude de condições ecológicas desfavoráveis, o café foi cultivado associado às culturas de subsistência (a mandioca, sobretudo), sem jamais ter conseguido atingir o Status que o caracterizou no Vale do Paraíba. A autora conclui que que a sociedade daí resultante, pelo esforços conjugado de fazendeiros, comerciantes, lavradores pobres e escravos, caracterizava-se por uma produção agrícola de baixo rendimento, por um povoamento rarefeito e por um mercado restrito, cuja marca foi antes a pobreza do que a abundância.
  • 1985-10 Movimento Popular e Repressão: A Balaiada no Piauí.
    Título
    Movimento Popular e Repressão: A Balaiada no Piauí.
    Autor
    Claudete Maria Miranda Dias
    Orientador(a)
    Francisco José Calazans Falcon
    Data de Defesa
    1985-10-03
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    282
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Afonso Carlos Marques Dos Santos
    Francisco José Calazans Falcon
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    Analisa a Balaiada, movimento popular do período regencial que envolveu grande parte do Piauí e do Maranhão, de 1838 a 1841, estendendo-se pelo interior do Ceará e da Bahia. Caracterizou-se pela prática violenta do recrutamento militar, pela aplicação arbitrária da Lei dos Prefeitos e pela ditadura do governo do Barão da Parnaíba no Piauí - resultados de uma estrutura econômica, política e social injusta e desigual que vigorava desde os tempos coloniais e que permaneceu praticamente imutável, mesmo com a emancipação política do Brasil. O movimento, demonstra a autora, teve a participação intensa de vaqueiros, artesãos, lavradores, escravos, índios e fazendeiros, que pegaram em armas contra o governo provincial, transformando a Balaiada numa verdadeira guerrilha. Ao final de mais de dois anos de lutas e combates violentos, o movimento foi derrotado pelo aparato repressor montado com forças do Piauí, do Maranhão, do Ceará, da Bahia e do Rio de Janeiro, deixando um salto de milhares de prisioneiros, mortos, além de centenas de feridos.
  • 1985-09 Rio de Janeiro, 1918: A Insurreição Anarquista.
    Título
    Rio de Janeiro, 1918: A Insurreição Anarquista.
    Autor
    Carlos Augusto Addor
    Orientador(a)
    Victor Vincent Valla
    Data de Defesa
    1985-09-27
    Nivel
    Mestrado
    Páginas
    234
    Volumes
    1
    Banca de Defesa
    Eulália Maria Lahmeyer Lobo
    Ismênia de Lima Martins
    Victor Vincent Valla

    Resumo
    Estudo do movimento anarquista no Brasil, particularmente no Rio de Janeiro, na Primeira República. Seu objeto específico é a greve insurrecional ocorrida nesta cidade em novembro de 1918. São analisados o Estado, a economia e a sociedade brasileira nesse período, bem como as transformações urbanas no Rio de Janeiro, a formação da classe operária nessa cidade e suas condições de vida e trabalho. É apresentada uma visão geral do anarquismo, caracterizando seu processo de inserção no movimento operário brasileiro e carioca em particular, bem como as principais greves ocorridas no período. Os mais importantes aspectos da vida da Capital Federal ao longo do ano de 1918 são descritos, sendo especialmente enfatizados seu movimentos operários e sindicais. Dentro desse contexto, é analisado mais especificamente a insurreição anaquista no Rio de Janeiro, suas motivações e repercussões. Ressalta a importância do anarquismo na formação da classe operária no Brasil e também o peso do movimento de 1918 no Rio de Janeiro, forçando uma mudança da postura do Estado diante da questão social.
language

Siga-nos