Revoltas

Pedrosada

Capitania de Pernambuco (1534 – 1821)Recife

Início / fim

fevereiro de 1823 / fevereiro de 1823

Ilustração de Pedro da Silva Pedroso retirada do site "Pernambuco, História&Personagens" - Disponível em: http://blogs.diariodepernambuco.com.br/historiape/index.php/2016/09/19/pedro-da-silva-pedroso-o-pardo-do-recife/

O capitão Pedro da Silva Pedroso, liberal que havia participado tanto da Insurreição Pernambucana em 1817 quanto da formação da Junta dos Matutos em 1822, nesta como líder militar, inicia uma série de motins que culminam na instauração de uma ditadura liderada por ele. Sua revolta se inicia em fevereiro de 1823.

Essa ditadura tinha conotações raciais, por ser inspirada na Revolução do Haiti. Pedroso se denominava o “pardo de Recife” e era apoiado por muitos pretos, mulatos e mestiços, que compunham tropas como a dos Monta-Brechas e Bravos da Pátria. Juntos, conseguiram abalar a Junta dos Matutos, que foi obrigada a se retirar para Vila do Cabo por alguns dias, aproximadamente de 21 a 28 de fevereiro. Durante esse tempo, Pedroso domina Recife e sai amotinado às ruas acompanhado de seus apoiadores, soltando alguns presos não-brancos e prendendo europeus. Ao fim desse tempo é capturado e levado preso ao Rio de Janeiro.

O complexo processo de emancipação brasileiro passou por diversas batalhas regionais, que envolveram disputas sociais, militares e políticas que não se restringiram à Corte do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas. Tampouco se encerraram com o “grito do Ipiranga” em setembro de 1822.

Disputas importantes ocorreram em províncias mais afastadas, como a formação do popular Exército Libertador, o cerco às tropas portuguesas na Bahia em 1823 e, no mesmo ano, a batalha às margens do rio Jenipapo no Piauí, que juntou as forças locais às cearenses e maranhenses. No entanto, é apenas em 1825 e depois de muitas colisões entre os dois lados que Portugal finalmente reconhece a derrota por meio do Tratado de Paz, Amizade e Aliança.

Antecedentes

Grito do Ipiranga

Números da Revolta

1 condenados.

Grupos sociais

Réus e Condenados

Ações de protesto não-violentas

  • Libertação de Presos
  • Marchas
  • Nomeação de autoridades

Ações de protesto violentas

  • Prisão de autoridade

Repressão

Contenção

  • Prisões

Punição

  • Não informadas

Bibliografia Básica

CARVALHO, Marcus J. M. de. O Outro Lado da Independência: Quilombolas, Negros e Pardos em Pernambuco (Brazil), 1817-23. Luso-brazilian Review, v. 43, n. 1, p. 1-30.

HOLANDA, Sérgio Buarque de (Dir.). História Geral da Civilização Brasileira, Livro Primeiro: o novo descobrimento do Brasil. 9 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. 3 v. 2 t.

    Imprimir página

Compartilhe