Revoltas

Guerra dos Potiguaras

Capitania da Paraíba (1574 – 1822)Baía da Traição

Início / fim

1574 / 1599

Data aproximada

O início desta longa guerra é atribuído ao sequestro da filha de um cacique potiguara por um senhor de engenho em 1574. Em represália, os índios invadiram o engenho e mataram seus habitantes. Algumas expedições punitivas portuguesas foram enviadas entre 1575 e 1584 para derrotar a resistência indígena. No entanto, no fim do ano de 1585, navios franceses chegaram à Baía da Traição, o que demandou novas expedições portuguesas. Ao fim da década, a cidade de Nossa Senhora das Neves, atual João Pessoa, foi cercada por indígenas potiguaras e reconquistada apenas em 1590. Com a perda de apoio dos franceses e uma grande epidemia, os potiguaras acordaram a paz em 1599.

Antecedentes

A filha de um dos morubixabas potiguar foi capturada por um senhor de engenho.

Conjuntura e contexto

O contexto é o início da colonização, os portugueses guerreavam com diversos povos indígenas para se estabelecer no novo continente. As tensões entre portugueses e parte dos nativos começavam a estourar. Além disso, potências europeias, como a França, contestavam o domínio português na América.

Números da Revolta

25 anos de duração.

Ações de protesto violentas

  • Batalhas e combates
  • Destruição de propriedade
  • Invasão de cidade ou vila
  • Mobilização de forças militares
  • Morte de inimigos

Repressão

Contenção

  • Expedição armada ou repressão militar
  • Negociações e acordos de paz

Instâncias Administrativas

  • Governador Geral

Bibliografia Básica

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Os índios na História do Brasil. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2010.

MOONEN, Frans. Os índios potiguara na Paraíba. 2ª. edição digital aumentada, Recife, 2008.

    Imprimir página

Compartilhe