Denise Rollemberg

O silêncio da memória

Arquivo: 

 

O silêncio da memória

Denise Rollemberg

[Publicado no jornal O Globo em 3 de maio de 2013]

 

O Museu Jean Moulin, de Paris, em comemoração aos 70 anos da sua morte,

inaugurou em abril uma exposição que ficará aberta ao público ao longo de todo o

ano, até dezembro de 2013. Moulin é o grande herói da chamada Resistência interior

Disciplina: História do Brasil III (Ciências Sociais)

 

 

Universidade Federal Fluminense
Departamento de História
Disciplina: História do Brasil III (Ciências Sociais)
Código: GHT00312 
Profª Denise Rollemberg
2º semestre de 2012   
Horário: 3ª e 5a , 18/20
 
Obs.: pasta 175 (xerox da família)
 
Programa: A ditadura civil-militar (1964-1979). História e memória

 

 

Disciplina "A França de Vichy (1940 - 44): História e Historiografia"

 Recado da profª Denise Rollemberg aos alunos

 

Projeto Memórias Reveladas

A ditadura, as artes e a cultura; O ato institucional n° 5;  A ditadura, os estudantes e os trabalhadores; Exilados; Desaparecidos políticos e Censura à imprensa são textos sobre a Ditadura civil-militar, escritos por Daniel Aarão Reis Filho e Denise Rollemberg para o projeto Memórias Reveladas.

 

 

O apoio de Cuba à luta armada no Brasil: o treinamento guerrilheiro

(Publicado em: Rollemberg, Denise. O apoio de Cuba à luta armada no Brasil: o treinamento guerrilheiro. Rio de Janeiro: Mauad, 2001. 96 pp.).

«Dizia-se «ilha» ou «Ponto Um» e todos nós sabíamos que era Cuba, nome tão impronunciável como nossos nomes». Flávio Tavaresi.

Aos grandes homens a Pátria reconhecida. Os Justos no Panthéon

(Publicado em: Rollemberg, Denise. "Aos grandes homens a Pátria reconhecida. Os Justos no Panthéon". Angela de Castro Gomes (org.). Direitos e Cidadania. Memória, política e cultura. Vol. 2.Rio de Janeiro: Ed.Fundação Getúlio Vargas, 2007).

"O inquietante com Vichy não é tanto os crimes de uma minoria, mas a indiferença da grande maioria". Henry Rousso.

Mémoires en Exil, Mémories D' Exil

(Publicado em: Rollemberg, Denise. “Mémoires en exil, mémoires d'exil.”. Idelette Muzart; Denis Rolland (orgs.). L'exil brésilien en France : histoire et imaginaire. Paris: L'Harmattan, 2008, v. 1, p. 17-34).

Esquerdas revolucionárias e luta armada

«Insignificantes, esmagados pela enormidade da floresta, eles continuavam». Renato Tapajós.

The Brazilian Exile Experience: Remaking Identities

The story of the Brazilian exile experience (1964–1979) from the perspective of the exiles themselves highlights the loss of roots and references and the discovery of new pos-sibilities. The quotidian side of exile involved doubt, certainty, distress, emptiness, fear, insanity, death, difficulty with documents, work, study, reconstruction of pathways—in short, a redefinition of identity imposed by day-to-day life.